Famílias de Gás
 
De acordo com a norma europeia EN 30 e a norma portuguesa NP – 927, os gases combustíveis são clarificados em três famílias:

1ª família - Constituída pelos gases manufacturados, vulgo Gás de Cidade;
2ª família - Constituída pelo Gás Natural do grupo H e L;
3ª família - Constituída pelo gás de petróleo liquefeito, vulgo GPL.

1ª família - Constituída pelos gases manufacturados, vulgo Gás de Cidade

O Gás de Cidade (distribuído durante muitos anos na área da grande Lisboa, actualmente substituido pelo Gás Natural) era produzido pelo fraccionamento de naftas químicas, derivadas do petróleo, sob dois processos; o fraccionamento térmico e o catalítico.
À saída da unidade de fabrico o gás era comprimido para unidades de armazenamento (gasómetros) e daí distribuído para a rede primária à pressão de 1 Bar. Em vários locais de Lisboa existiam unidades de redução de pressão, que alimentavam a rede secundária á pressão de consumo dos aparelhos de queima, 8 mbar. A armazenagem, distribuição e utilização do gás de Cidade era sempre realizada em fase gasosa.
 
O Ar Metanado foi utilizado como substituto do gás de Cidade e era obtido a partir do fraccionamento das naftas químicas. Usa-se uma mistura de ar e metano equivalente ao gás de Cidade.
A diferença importante entre o gás de Cidade e o Ar Metanado é que o Ar Metanado era um gás seco, ao contrário do gás de Cidade.
Tal obrigava a humifica-lo com metanol, quando utilizado em redes de gás de cidade com tubagem de ferro em que o linho servia de meio de vedação nas juntas.
 

2ª família - Constituída pelo Gás Natural do grupo H e L

O Gás Natural é extraído directamente das jazidas e atendendo á diversidade das mesmas, é necessário transportar o Gás Natural entre o local de origem e os locais de utilização, utilizando navios em que o gás é transportado a – 160 ºC (fase líquida) e à pressão de 100 mbar, armazenado em tanques na fase liquida e lançado na rede de distribuição na fase gasosa, ou em gasodutos, construídos em aço de grandes diâmetros e transportado a pressões que podem atingir os 120 Bar. A distribuição e utilização do Gás de Natural é realizada em fase gasosa.
 
A composição do Gás natural difere consoante o local da jazida, sendo sempre o Metano o seu elemento principal. Como exemplo de composição química, indica-se a do Gás Natural que Portugal recebe da jazida da Argélia.

 Composição Química aprox. (% vol) do Gás Natural 
MetanoCH486.5%
Etano
C2H6
9.4%
Azoto
N2
0.3%
Propano
C3H8
2.6%
ButanoC4H10
1.1%
Pentano
C5H12
0.1%
 
O facto de a molécula do metano apresentar uma estrutura simples confere uma baixa densidade relativa ao ar.
Como consequência, o Gás Natural é mais leve do que o ar, o que lhe confere um potencial de segurança no abastecimento de edifícios.
 
O Ar Propanado resulta da mistura de ar e propano na proporção de 42% de ar e 58% de propano comercial. A principal aplicação desta mistura é a de alimentar as redes de distribuição em substituição do Gás Natural enquanto este não está disponível numa determinada região.
 
          Principais Características Físicas do Gás Natural          
(proviniente da Argélia)
Poder CaloríficoSuperiorPCS

10 032 kcal/m3 (n)
42.0 MJ/m3 (n)

Inferior
PCI
9 054 kcal/m3 (n)
37.9 MJ/m3 (n)
Densidade Relativa (ao ar)
0.65
Grau de Humidade 0%
Índice de Wobbe
SuperiorWPCS
12 442 kcal/m3 (n)
52.1 MJ/m3 (n)
InferiorWPCI
11 200 kcal/m3 (n)
46.9 MJ/m3 (n)


3ª família - Constituída pelo gás de petróleo liquefeito, vulgo GPL
 
O Propano e Butano obtêm-se a partir da destilação do petróleo bruto. Embora membros da mesma família, o Propano e o Butano tem algumas características que os tornam bem distintos. Ambos se mantêm no estado gasoso á pressão atmosférica, mas podem ser liquefeitos a pressões de 8 e 2 Bar, respectivamente.
A densidade relativa do Propano e do Butano é de cerca de duas vezes a do ar, pelo que em caso de fuga tem tendência a acumular-se nos pontos baixos.

As vantagens da sua liquefacção traduzem-se na redução de volume (cerca de 250 vezes), uma valiosa concentração de energia, aliada a uma grande facilidade de transporte em garrafas ou carros cisterna. A facilidade da passagem da fase liquida à gasosa do Propano e Butano confere-lhes uma propriedade única, pelo que é habitual utilizar o Propano para consumos importantes e o Butano para uso doméstico, com excepção das instalações colectivas dos imóveis de habitação, que para esse fim é frequente o uso de reservatórios ou baterias de garrafas de Propano.

          Principais Características Físicas do Gás Propano          
Poder CaloríficoSuperiorPCS24 262 kcal/m3 (n)
101.6 MJ/m3 (n)
Inferior
PCI
22 300 kcal/m3 (n)
93.4 MJ/m3 (n)
Densidade Relativa (ao ar)
1.55
Grau de Humidade 0%
Índice de Wobbe
SuperiorWPCS
20 322 kcal/m3 (n)
85.1 MJ/m3 (n)
InferiorWPCI
17 194 kcal/m3 (n)
72.0 MJ/m3 (n)
 
O gás de petróleo liquefeito, vulgo GPL é um derivado do petróleo, formado pelo propano, butano, isobutano e as suas junções.
O GPL pode ser separado das fracções mais leves do petróleo ou das mais pesadas do Gás Natural, sendo composto principalmente por hidrocarbonetos.
 
Este gás tem a particularidade de à pressão atmosférica ser um produto gasoso e quando submetido à temperatura ambiente e a pressões maiores que as da atmosfera condensar e voltar ao estado liquido, permitindo assim o seu transporte, armazenagem e uso.
Para que se detectem com facilidade as fugas de gás, a este são adicionados compostos de enxofre, apenas para lhe conferir um odor característico.